2017 dezembro 19 Debate e feirinha marcam as comemorações do Dia da Economia Solidária no Recife

Debate e feirinha marcam as comemorações do Dia da Economia Solidária no Recife

Debate e feirinha marcam as comemorações do Dia da Economia Solidária no Recife

Data foi comemorada oficialmente pela 1ª vez, na Câmara Municipal do Recife, uma iniciativa do vereador Rinaldo Junior

Pela primeira vez a cidade do Recife comemorou o Dia Municipal da Economia Solidária, nesta sexta-feira (15/12), com uma reunião pública com o tema “Economia Solidária: Perdas, Ganhos e Perspectivas” e uma feira solidária, na Câmara Municipal do Recife (CMR), comanda pelo vereador Rinaldo Junior, que tem defendido o fomento ao setor como uma alternativa viável para o enfrentamento ao desemprego – são menos nove mil postos de trabalho no acumulado deste ano -, e a geração de renda na cidade do Recife. A data oficial no calendário passou a ser 15 de dezembro com a sanção, no primeiro semestre deste ano, de Lei Municipal. O projeto foi de autoria do Vereador Rinaldo Junior, que é vice-presidente da Frente Parlamentar da Economia Solidária, na Câmara.

“Nossa avaliação é muito positiva desse dia tão importante, 15 de dezembro, Dia da Economia Solidária. Uma proposta de nossa autoria que, hoje, trouxe para esta Casa as mais diversas lideranças do segmento para consolidar propostas importantes, como a nossa emenda de fomento a economia solidária, que destinou um recurso de R$ 110 mil. Aproveitamos a presença da representante da Secretaria de Desenvolvimento  Social e Direitos Humanos para dar conhecimento dos anseios do setor, garantindo assim que saia do papel e vá para o povo do Recife, que merece. Estaremos fiscalizando a utilização desses recursos”, afirmou o vereador Rinaldo Junior. 

Inclusive, no último dia 21 de novembro, foi aprovado no plenário da Câmara Municipal do Recife, uma emenda parlamentar, na Lei Orçamentária Anual (LOA), de autoria do vereador Rinaldo Junior, que destinou R$ 110 mil, para o fomento à economia popular e solidária na capital pernambucana. O recurso será destinado para a Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (SDSMA). Na emenda MODIFICATIVA, o parlamentar indicou que o recurso seja utilizado na implantação dos Espaços de Comercialização da Economia Solidária (ESCOES).

O dia foi celebrado com uma audiência pública no Plenarinho na Casa José Mariano, onde o fomento ao setor foi debatido com representantes do setor, entre eles, o Conselho Estadual de Economia Solidária (CEES), Comissão CADSOL, Fórum Economia Solidária da Região Metropolitana de Recife (FES RMR), Rede de Educadores, Câmara de Vereadores, Prefeitura do Recife/Gerência Ecosol, Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Pernambuco (SRTE-PE), Associação dos Apicultores e Melipicultores (Apime) e Serviço de Tecnologia Alternativa (Serta).

Representando a Rede de Educadores de Pernambuco, Eronildes Brandão, destacou que as feirinhas são importantes, mas defende a ampliação dos ESCOES para o efetivo fortalecimento do setor. “Independente de vender ou não, a gente vê a questão humana também de poder dar oportunidade a essas pessoas que não tem espaço de comercialização para podermos trazer e também trabalhar outras temáticas como as finanças, o próprio consumo, as compras coletivas, autogestão, todos esses conceitos que vão fortalecer e distinguir a economia solidária dessas outras economias que existem”, explica

Além da audiência pública, a celebração da data na CMR contou com a realização de uma feirinha solidária, com dez stands do Espaço de Comercialização da Economia Solidária (ESCOES), onde foram comercializados artesanatos, alimentos e produtos agroecológicos feitos por empreendimentos econômicos solidários.

A bióloga Luzete Simões é proprietária da “Viva Flora”, empresa que trabalha com terrários e mini jardins. “A Viva Flora tem poucos meses, mas está crescendo a passos largos. Eu escolhi empreender nesse mercado por puro amor à botânica. Minha maior alegria é saber que muita gente acaba conhecendo bem mais sobre biologia em uma simples planta que ela leva para a sua casa ou apartamento”, destaca a empreendedora. “Eu ainda não tenho condições de viver apenas disso. Mas em breve eu tenho certeza que a Viva Flora será minha maior forte de renda. Eu acredito muito nessa economia colaborativa e só assim nós que temos poucos recursos financeiros para investimentos podemos crescer”.

O poeta cordelista, escritor e produtor cultural José Evangelista vende cordéis e livros de sua própria autoria. O artista independente diz que escreve há 44 anos e mesmo divido a paixão da escrita com a profissão de ilustrador ele analisa de forma positiva a iniciativa de instituição do Dia da Economia Solidária. “A classe artística tem sofrido muito devido a atual situação política do Brasil. Mesmo assim ações como essa são importantes para que a gente consiga expor nosso trabalho para um maior número de pessoas”, destaca.

Author: Rinaldo Junior ASSCOM

Vereador do Recife. Presidente do SIEEC-PE e da Força Sindical-PE.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *