2017 novembro 01 Audiência Pública discute sobre o Plano Específico para Santo Amaro Norte

Audiência Pública discute sobre o Plano Específico para Santo Amaro Norte

Audiência Pública discute sobre o Plano Específico para Santo Amaro Norte

vereador-rinaldo-junior_foto-anderson-barros_cmr-1O Plano Específico Santo Amaro Norte, que inclui a Vila Naval e a comunidade de Santo Amaro, foi discutido na manhã desta quarta-feira (01/11), no Plenarinho da Câmara Municipal do Recife. A audiência pública foi uma realização conjunta dos vereadores Rinaldo Junior, Ivan Moraes e Alcides Teixeira Neto com o objetivo de incluir o poder legislativo no debate com a população, tirando encaminhamentos e propostas que serão transformadas em compromissos públicos.

A mesa, presidida pelo vereador Rinaldo Junior, foi composta pelo secretário de Planejamento Urbano da Cidade do Recife, Antônio Alexandre; a coordenadora do Plano Centro Cidadã, Andrea Câmara; o capitão de Mar e Guerra e representante do 3º Comando da Marinha, Ricardo Olivieri; o conselheiro da Cidade do Recife e integrante do Grupo Direitos Urbanos, Leonardo Cisneiros; o representante do Movimento Resiste Santo Amaro, Felipe Cury; e o representante da Associação de Moradores de Santo Amaro, Luzinaldo Silva. Os moradores e lideranças da comunidade de Santo Amaro, além de estudantes do curso de Arquitetura também marcaram presença na audiência.

Responsável pela condução e um dos requerentes da audiência, o vereador Rinaldo Junior, avaliou o momento de debate. “A gente pode ouvir a população, os principais atores, dando tempo possível para todo mundo falar. A participação popular é importantíssima. E saímos com encaminhamentos importantes. A gente precisa de mais oficinas e audiências como essa porque o povo de Santo Amaro desconhece o que é esse projeto profundamente. Então, nós vamos junto com os vereadores Ivan Moraes e Alcides Teixeira Neto promover várias oficinas para que nas oficinas a gente instrua o povo para ter condições de opinar sobre o que é melhor para a sua comunidade”, explicou o parlamentar.

O Plano se propõe a dividir o terreno da Vila Naval em seis quadras, sendo uma delas para a construção de novas moradias dos militares. As outras seriam negociadas pela Marinha com empresas de construção civil, que poderiam erguer prédios de até 21 andares com alturas diversificadas e térreo com 80% da fachada em formato de galeria, sem grades ou muros. A discussão trouxe a importância da elaboração de um projeto urbanístico especial para a área que compõe o ZEIS de Santo Amaro, a Vila Naval e o Tacaruna, em virtude de sua localização estratégica e da importância histórica e social.

Foto: Anderson Barros/CMR

Foto: Anderson Barros/CMR

Para o conselheiro da Cidade do Recife e integrante do Grupo Direitos Urbanos, Leonardo Cisneiros, a realização da audiência pública é de fundamental importância e avaliou a proposta. “Esse plano do jeito que está a gente considera que está bastante mal formulado não corresponde com o que o plano diretor exige, que realmente é um plano realmente integrado tratando de forma igual a área de interesse do mercado imobiliário e a área da ZEIS Santo Amaro. Ou seja, esse plano é uma colcha de retalhos que faz o plano específico para Vila Naval e deixa a ZEIS  só com o plano preliminar”, criticou.

Morador de Santo Amaro há 45 anos, Luzinaldo Silva, falou representando a Associação de Moradores. “A discussão está sendo muito pouca, a gente tem que discutir mais, principalmente com as pessoas que moram dentro do bairro, porque uma coisa é você fazer prédios para pessoas ricas. Você vai fazer 22 prédios dentro da Vila Naval e essas pessoas vão ter que sair da Vila Naval e vão sair por onde?”, questionou o morador. E complementou: “Para sair de dentro da Vila Naval a opção que tem é abrir as vias mais para dentro da comunidade e esse é o medo das pessoas que moram lá dentro, é perder as suas casas, perder a sua moradia. Então a discussão tem que ser ampla e mais discutida com a comunidade”, reivindica.

Representando o Movimento Resiste Santo Amaro, Felipe Cury, destacou que o projeto como está não prevê um plano integrado. “Nossa critica é que o povo que mora em Santo Amaro não está inserido dentro do projeto.  A proposta de projeto que foi feito pela prefeitura só atende a Vila Naval e não a ZEIS Santo Amaro. Esse projeto não identifica quais são as necessidades, quais são os equipamentos públicos que se vão investir, qual o quantitativo de moradias que vai precisar ser removido se gente defende que essas moradias mais especificamente tenha também o seu  espaço dentro da Vila Naval, que seja  efetivamente construído os habitacionais lá dentro ao lado também do empreendimento imobiliário que a prefeitura junto com a marinha está querendo”, pontua.

Author: Rinaldo Junior ASSCOM

Vereador do Recife. Presidente do SIEEC-PE e da Força Sindical-PE.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *